Bom é jogar RPG

30 07 2009

Agora estou ajudando o pessoal da campanha Bom é jogar RPG.

A campanha Bom é jogar RPG pretende estabelecer encontros em todo o país com mestres e jogadores voluntários, criando uma rede de amigos e pessoas dispostas a se divertir de maneira saudável e respeitosa. Serão estabelecidos também: debates, campanhas sociais em escolas e ONGs e outras formas dinâmicas (online ou não) para que o RPG possa cada dia mais ter novos jogadores e ser mais reconhecido como ferramenta interessante de interação social, cultural e de diversão.

Acesse – http://www.bejrpg.com.br





Revista Acerto Crítico

5 06 2009

Já tem um tempo que sou conselheiro da revista de RPG, Acerto Crítico http://www.acertocritico.tk – visitem lá. Em breve eu voltarei a escrever com frequencia :)





Twittando…

12 03 2009

Eu pretendo estar mais ativo via twitter. O blog às vezes eu atualizo, às vezes não. Mas eu creio que vou conseguir contar pra vocês mais de Skeptna e de minhas descobertas no twitter. Até fiz um endereço mais fácil pra vocês me acharem:

http://www.ylykatop.tk





Eles são fracos, por isto lutam

27 11 2008

Certa vez olhei para eles: desajeitados, preguiçosos, sujos, criminosos, traidores… Quem vai acreditar neles? Eles possuem corações egoístas, amargurados, traumatizados… Alguém vai dar algum crédito pra esta escória? Afinal, eles não merecem viver…

Olhei novamente e parei pra ouvir: eles sabem de todas estas imundícias, eles nunca negaram nada destas coisas. Todos os acusam: reinos, vilarejos, seus amigos de infância e seus parentes. Todos viraram as costas para eles por desprezarem suas vidas. Afinal, eles não merecem viver… Mas eles sabem disto.

E por causa disto eles viraram maníacos homicidas? NÃO! Eles decidiram fazer a coisa mais absurda e intangível diante dos olhos humanos: mudar o coração, seguir em frente e ser uma nova pessoa. Aí, alguém chega e diz: “loucos, acham mesmo que vão nos convencer?”.  E enfim chega o turbilhão de acusações que tenta os desmotivar. Afinal, eles não merecem viver… Mas eles sabem disto e não cruzaram os braços.

Eles levantaram e lutaram, porque eles entederam algo e estão perseguindo este alvo. Eles olharam suas debilidades e se juntaram. Reuniram seus corações para que pudessem, pela união, ser mais fortes. Eles tiveram alegria de ver a verdade de si mesmos, sabendo que o quão mais perto da verdade você está, mais rápido será a sua libertação interior. Por isto eles nunca puderam negar o que eles foram, mas isto não foi uma determinante. Afinal, eles entederam que não merecem viver… Mas eles sabem disto e não cruzaram os braços diante da sujeira que habitava dentro deles.

A verdade que eles entederam pode mudar e salvar o mundo. Mundo este que não quer mudança ou salvação. Ainda assim eles perseveram! Bravos corações! Eles compreenderam que qualquer coração, mediante a disposição, pode se tornar verdadeiramenhte bom, mesmo pra quem sempre foi treinado e moldado para o mal e a impureza. Afinal, eles entederam que não merecem viver… Mas eles sabem disto e não cruzaram os braços diante da sujeira que habitava dentro deles. Por que eles entenderam que só existe desculpas pra quem não quer nada de verdade.

Eles são os Guerreiros de Skeptna, reconhecedores de suas fraquezas e portadores dos corações mais dispostos e voluntariosos que eu já pude testemunhar. Eles lutam por todos, lutam pela Grande União. Mas sabem que a maior luta começa por dentro, destruindo o mal que existe no coração.

Eu acredito neles. Eu me juntarei a eles sempre.
Mestre Ylykatop





Memórias em Skeptna

30 09 2008

- Acorde, você era uma lenda! Você existiu para inspirar multidões, você travou grandes batalhas, derrotou inimigos do coração dos homens, derrotou forças maléficas em prol de um propósito maior. Você era um herói! Todos na Ilha do Vento te conheceram!
– Hum.
– Não me olhe com esta cara de dúvida. Por qual motivo eu estaria aqui te contando estas coisas, se não fosse pelo simples fato de eu acreditar em você? Você acha que sou do tipo bajulador? Por que razão?
– Não sei, tudo é confuso demais… Me perdoe se estou sendo rude.
– Vê estas minhas lágrimas? Nós andamos juntos, nós amamos esta terra e nosso deus… Nossa união ia ser reconhecida e motivo de inspiração.
– Entendo… Mas quem é você?
– Como você pode não lembrar!? Você esteve ao meu lado quando eu fraquejei, me aconselhou, me protegeu do mal e me ajudou a destruir os demônios interiores… Eu confiei meu coração e minha espada a você. Olhe aqui… vê esta cicatriz?
– Hum… E?
– Oh céus! Onde está seu espírito? O que fizeram com você?
– Desculpe, tudo é muito difícil agora… Não consigo ver…
– Por isto estou aqui pra te ajudar a enxergar. Coloque a mão aqui no meu ombro… Você fez este ferimento.
– Eu? Me desculpe, doeu muito quando fiz isto? Mas, eu não me lembro bem… Eu estava com ódio de você?
– Não, você estava me treinando… Foi um acidente… Você me protegia o tempo todo e, por causa da minha insistência, quis me ensinar seu golpe mais fatal. Mas você segurou a mão, quando eu tropecei… Foi até engraçado… Não se culpe.
– Ufa!
– Eu ainda vou te ajudar a lembrar… Embora sua memória foi afetada na última batalha. Eu acredito no seu espírito! Sei que em seu coração você é o mesmo guerreiro!
– Eu ainda não lembro de você, não lembro de mim… Mas olhando em seus olhos, vejo o quão sinceras são suas palavras… Sortudo é quem lhe tem por amigo.
– Não me faça sofrer mais… Não me faça chorar igual agora! Por favor… lembre-se… Eu sei que sua cabeça dói.
– Não chore. Acalme-se… O que eu te fiz agora?
– O que você me fez!? O que VOCÊ me fez? Acorde! Eu não vou desistir de você! Ainda que você não se lembre, ainda que você tenha esquecido tudo. Você foi e você ainda é meu amigo!





Voltando após longas viagens…

3 07 2008

Ufa, quantas andanças… Estive percorrendo algumas terras em busca de informações. Precisei ir atrás de novas fontes e busquei a face de Yimnaax neste tempo para saber sobre o futuro das próximas missões. Andei um bom tempo, agora estou começando a voltar aos meus hábitos usuais… Andei e andei…

Agora estou de volta… Espero revê-lo em breve… Ainda preciso levar você para aquela viagem prometida, não me esqueci.





Um passeio por Skeptna – Criaturas de Skeptna (introdução)

13 05 2008

Neste tempo que andei sem escrever fiquei pensando sobre a criação de Yimnaax. Eu já falei um pouco sobre os animais, sobre as plantas, sobre alguns seres também… O que eu ainda não dei uma ênfase foi às diferentes raças que povoam meu planeta.

Aos poucos vou falar de cada uma delas: homens, elfos, goblins, hobbits, anões e as raras fadas. Eu poderia incluir aqui também os meio-elfos e os magos, mas são apenas variantes de algumas raças. Quem sabe você também não gostaria de saber sobre mortos-vivos ou imortais? Eles também perambulam por estas terras, mas não é fácil achá-los.

O que eu sei é que a Força Maior criou cada um deles para um propósito específico, como creio que todas as coisas também o foram. E qual é o objetivo da sua existência?

Cada ser, cada planta, cada recôndito de Skeptna tem um motivo de ser, de acontecer… O problema todo foi a ruptura e a desarmonia criada após a rebelião de Orpalor, mas tudo há de voltar a ser o que era pois confio nos bravos guerreiros que estão lutando pela Grande União.

Nem nossos próximos encontros pretendo falar um pouco mais de cada raça. Não desisti de trazer você comigo neste passeio. Por enquanto, me espere no porto de Anorana, compre alguma coisa para a viagem – talvez comida e roupas. Eu não me demoro, já venho te buscar.

(Mestre Ylykatop é um personagem de ficção… e você, é real?)








Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.